O anúncio referia: “Aumentar a conta BBC News Tiktok para torná-la a maior e melhor, tanto globalmente como no Reino Unido, é uma das nossas principais prioridades para 2023” revelou o Press Gazette.

A decisão ocorre um ano após rápidas mudanças na BBC News. Em Janeiro de 2022, dois responsáveis pelas redes sociais e digitais da empresa disseram ao Press Gazette, que estavam fora do Tiktok, porque não tinham recursos para criar conteúdos adequados para essa rede e a marca BBC não ia produzir “notícias leves”.

No entanto, em Março, após a invasão russa da Ucrânia, a emissora percebeu que havia uma oportunidade de combater a desinformação sobre a guerra. Também viu outras grandes marcas de notícias como a Sky News e a ITV News, começarem a ter um “crescimento rápido” com as suas experiências no Tiktok.

Naja Nielsen, directora digital dos canais da BBC News, afirmou ao Press Gazette, que o aumento da desinformação significava que havia uma “razão real de serviço público para estarmos no Tiktok”, e acrescentou, “escolhemos as plataformas que mais nos podem ajudar a informar mais pessoas, acrescentando valor, garantindo informações confiáveis, transparentes, precisas e imparciais”.

Sobre a expansão, acrescentou: “É uma escolha porque há muitas coisas que se podem fazer em qualquer organização de “media”. Precisamos de uma equipa um pouco maior para continuar a publicar, mas também de experimentar novos formatos e continuar a aprender."

A directora, revelou ainda que o número de seguidores não é visto como uma prioridade, estão mais interessados no número de visualizações que cada vídeo recebe.

Actualmente a Sky News, conta com 3,3 milhões de seguidores no Tiktok, a ITV News 1 milhão e meio, a NBC News tem 4 milhões enquanto a CNN contabiliza 1 milhão e trezentos mil seguidores na rede social chinesa.