Os políticos estão, cada vez mais, a contornar os jornalistas e a comunicar directamente com o seu público alvo, através das redes sociais. “Resta” aos profissionais dos media “retransmitir” as suas declarações.

 

Com receio de que o público perca interesse, os media têm tratado o Brexit mais como um “melodrama”, do que como uma situação política complexa, e acabaram por comunicar os “leaks” sem questionar o que poderia estar por detrás da história.

 

Os jornalistas devem ponderar a forma como narram o que lhes é transmitido e adoptar uma postura mais selectiva, principalmente quando a origem e as intenções das fontes são desconhecidas.

 

Nesta fase, em que a confiança no jornalismo está abalada, é necessário que os jornalistas sejam o mais transparentes possíveis com o público em relação à origem das histórias.

 

Para o autor adicionar “fonte do governo” no fim do primeiro parágrafo não é suficiente.

Mais informação The Guardian.