“Espero que a ideia de projectos jornalísticos temporários se dissemine em Portugal, porque está em decadência o modelo das empresas e redacções criadas para durar décadas. A profusão de temas, realidades, nichos e formas de fazer jornalismo já não permite que se trabalhe apenas segundo o modelo de organização do trabalho que herdámos do século XIX”, considerou, ainda, o jornalista.

 

Leia a entrevista original em “Meios e Publicidade”