Finalmente, o líder do Partido Popular Europeu, Manfred Weber, afirmou que “a UE não pode permitir que as redes sociais decidam o que é ou não aceitável”.


“Não podemos deixar que as grandes empresas tecnológicas determinem como podemos ou não debater, o que pode ou não ser dito no discurso democrático. Precisamos de implementar uma regulação mais apertada”.