O mesmo instituto exige, também, que as autoridades respeitem a integridade física dos que exercem o direito ao protesto, requerendo a “implementação de medidas que permitam aos trabalhadores da imprensa cobrir os acontecimentos sem terem de pôr em risco as suas vidas”.

 

O Equador tem vivido uma crise política e institucional, na sequência do anúncio da implementação do “paquetazo” – um conjunto de medidas governamentais que implicam reformas tributárias, o aumento das tarifas dos serviços públicos, aumento dos combustíveis, entre outros.

 

Mais informação em IFJ.