A Noticias de la Comunicación foi fundada em Abril de 1991, nessa altura como semanário, pelo jornalista Luis Muñiz, que foi seu editor de princípio a fim e assina o texto “La pasión por el dato” neste número de encerramento. Era distribuída nos quiosques por toda a Espanha e dirigida por Luis Palacio, actual director do Informe Anual de la Profesión Periodística, da APM – Asociación de la Prensa de Madrid, com a qual mantemos um acordo de parceria. 

Depois da sua fase inicial, passou a ser distribuída unicamente por assinatura. Chegou a ser um suplemento mensal da Anuncios, mas pouco depois tornou-se definitivamente independente desta revista. 

O editorial descreve a vida breve da Noticias de la Comunicación, que “se apresentava com a ideia simples de fazer jornalismo sobre a indústria dos media e adjacentes, sob a mesma fórmula conceptual e gráfica de um jornal de informação geral, mas adaptado à temática do sector profissional a que se dirigia”. 

“Era um projecto novo, nessa altura, ressalvando alguns precedentes parciais, e que, ao perder a periodicidade semanal, passou a abranger a actualidade pela análise dos números e dimensão de empresas e segmentos, numa época em que muito poucos falavam ainda do jornalismo de dados.” (...) 

O editorial aponta, primeiro, a crise económica, e logo a seguir a transformação dos hábitos de consumo de informação e entretenimento, como causas que contribuíram para tornar inviável a continuação da Noticias de la Comunicación

E conclui: 

“Chegados a este ponto, é preciso passar a página e encerrar, pelo nosso lado, esta etapa tão prolífica na história dos meios de comunicação do nosso país, para que sejam outros a tomar o testemunho, se assim o entenderem. Está na hora da despedida e encerramento.” 

No seu texto, o editor de sempre, Luis Muñiz, descreve com algum pormenor “a ideia fundadora” do então semanário, que foi “inovadora pela sua aplicação a ambos os meios profissionais”  - [o dos meios de comunicação e o da publicidade e marketing].

“Forçados pelas perdas, abandonámos o tratamento generalista inicial para nos centrarmos nos dados e na sua análise”  - explica. Esta foi a fase em que a revista prosperou, indirectamente beneficiada pela obrigação legal, então decretada, de serem públicos os dados da informação financeira das sociedades comerciais. 

Luis Muñiz declara que o fez “com honestidade, rigor e sem intenção de ofender ou prejudicar a ninguém. Se alguma vez o fizémos, involuntariamente, peço as minhas sinceras desculpas, na hora de pôr fim a esta empresa e de abandonar quase 45 anos de exercício quotidiano deste ofício, no qual sempre me moveu a paixão pelos dados, que espero não perder”. 


Mais informação no site da APM  e o índice da última edição da Noticias de la Comunicación