Em 3 de Julho, 17 jornalistas foram detidos em frente ao edifício do Serviço Federal de Segurança (FSB) em Moscovo, enquanto se manifestavam contra a detenção da repórter Svetlana Prokopyeva.


No dia seguinte, mais dois jornalistas foram detidos em Pskov, onde Prokopyeva estava a ser julgada.


Já em  7 de Julho, 28 jornalistas e manifestantes foram detidos no mesmo local, durante um protesto contra as acusações de traição feitas a Ivan Safronov, conselheiro da Roskosmos, a agência espacial russa, e antigo jornalista da “Kommersant”.


“Nos três casos, os manifestantes distanciaram-se uns dos outros, realizando o que é conhecido na Rússia como ‘piquetes de uma só pessoa'”, salientou a Human Rights Watch.


A organização expressou, ainda, preocupação com a saúde dos jornalistas, levados em autocarros da polícia, sem condições de distanciamento social.