Segunda-feira, 16 de Dezembro, 2019

  

Aumenta a repressão sobre jornalistas na Turquia

Media Galeria

A repressão dos media e a censura continuam a crescer na Turquia. O Gabinete do Procurador-Geral de Istambul publicou, recentemente, uma declaração na qual anunciou a proibição de notícias e comentários sobre a acção militar turca no norte da Síria. A declaração refere que quem colocar em causa “a paz social da República da Turquia, paz doméstica, unidade e segurança" com "qualquer tipo de notícia sugestiva, publicação/broadcast escrito ou visual", juntamente com “contas de redes sociais operacionais”, será alvo de processos de acordo com o código penal turco e a lei anti-terrorismo.

Já foram detidos alguns editores, mas nenhum foi formalmente acusado, acabando por serem postos em liberdade. A sua libertação condicional indica que a investigação ainda estará em curso.

A Turquia tem atingido recordes na detenção de jornalistas nos últimos três anos consecutivos, período durante o qual as entidades têm encerrado ou tomado posse de vários meios independentes, de acordo com uma investigação do CPJ.

Fusão anunciada de dois gigantes de “media” nos EUA

Media Galeria

New Media Investment Group, uma holding que detém a GateHouse Media, anunciou que concordou em comprar a Gannett, proprietária da USA Today e de outras publicações em todo o país.
GateHouse Media e a Gannett editam mais de 260 jornais diários nos Estados Unidos e de 300 publicações semanais, em 47 estados. 

A fusão das duas empresas poderá representar economias de escala até 300 milhões de dólares anuais e conta já com a “luz verde” do departamento antitrust da Justiça norte-americana. 

O negócio, quando estiver fechado, representará o maior conglomerado editorial na história do jornalismo nos Estados Unidos. Nunca antes uma empresa deteve um número tão elevado de publicações.

O jornalista Ken Doctor analisou a fusão num artigo publicado no site NiemanLab, no qual refere que é expectável que cerca de 10% dos funcionários sejam dispensados.

Festival de jornalismo repete-se no Rio de Janeiro

Media Galeria

Está anunciada a repetição, no Rio de Janeiro, do Festival 3i – Jornalismo Inovador, Inspirador e Independente, que receberá jornalistas do Brasil, México, Argentina, Colômbia, Peru, Costa Rica, Espanha e Estados Unidos.

Considerado o maior encontro de jornalismo digital no Brasil, esta é uma iniciativa pioneira no país, que procura discutir uma nova era do jornalismo. Durante três dias o evento promove o debate sobre inovação e empreendedorismo na área e os desafios da profissão.

Festival 3i, que tem como parceiros o Google News Initiative e o Facebook, contará com oito mesas de debates, vários workshops – entre os quais um debate dedicado às crescentes ameaças ao jornalismo investigativo.

Em dois dos dias, o evento vai desdobrar-se por um total de oito painéis. Cada um deles terá um mediador e três participantes. 

Observatório da Imprensa do Brasil, com o qual o CPI tem um acordo de parceria, faz referência ao festival num texto no seu site, que revela o programa integral.

Estado de Emergência no Equador agrava insegurança de jornalistas

Media Galeria

A declaração do Estado de Emergência no Equador suscitou uma tomada de posição pela IFJ - Federação Internacional de Jornalistas que exigiu, através de um comunicado inserido no seu site, o fim das acções repressivas contra profissionais da imprensa.

A IFJ condenou não só os actos contra jornalistas, mas igualmente contra a liberdade de expressão, a liberdade de informação, a liberdade de opinião e os direitos consagrados na Constituição do Equador e tratados internacionais, como a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Morreu o jornalista Rogério Rodrigues, fundador de “O Jornal”

Media Galeria

Morreu o jornalista Rogério Rodrigues, aos 72 anos, que se encontrava doente e hospitalizado desde há algum tempo.

Era um profissional veterano, que começou a trabalhar no Diário de Lisboa, em 1974, tendo fundado mais tarde o semanário O Jornal. Em 1989, foi para a revista Sábado e, em 1990, integrou a primeira redacção do Público. Em 1992, voltou ao O Jornal, onde ficou até 1994.

Rogério Rodrigues foi também director adjunto de A Capital e, ainda, integrou a redacção do Rádio Clube Português.

Novo estatuto de jornalista na Polónia gera receios

Media Galeria

O partido polaco Pis anunciou que pretende regular o estatuto dos jornalistas, para criar uma “nova ordem dos media”. A sugestão do partido consta no seu manifesto eleitoral para as próximas eleições gerais. O objectivo da alteração do estatuto passa por regular a profissão de forma semelhante à das profissões médicas e jurídicas, estabelecendo um órgão para regular os padrões éticos e profissionais, bem como o acesso à profissão. A reforma sugerida incluí, também, uma proposta de supressão de uma secção do código penal, que permitia que os jornalistas fossem processados criminalmente por difamação.

A European Federation of Journalists publicou no seu site uma nota na qual recomenda que o Governo e os partidos políticos se abstenham de regular os meios de comunicação social e aceitem que estes devem ser livres.

Revistas “Classica” e “Pianiste” a mudar de mãos

Media Galeria

O grupo Humensis, editor de Belon e PUF, e das revistas Pour la science, Cerveau & psycho e Pour l’Eco, entrou em negociações com a sociedade EMC2 para aquisição da Classica e Pianiste, duas revistas especializadas em imprensa musical.

A notícia é dada pelo site electrónico Le Cles de la Presse que acrescenta que o grupo Humensis pretende criar um polo Musique colocado sobre a égide de uma filial que agrupara as suas actividades musicais.

Agrava-se em Hong Kong a violência contra jornalistas

Media Galeria

Em Hong Kong, os confrontos entre as forças de segurança e manifestantes intensificaram-se. O clima cada vez mais hostil tem dificultado a cobertura das manifestações em segurança. Nos últimos dias, surgiram vários relatos que identificam situações de violência contra jornalistas e fotógrafos. 

Há registo de um jornalista atingido com líquido corrosivo e outro ficou cego de um olho depois de ter sido atingido na cara por uma bala da polícia.

Internacional Press Institute (IPI) condenou os ataques dirigidos contra os jornalistas e fotógrafos que estão a cobrir as manifestações e apelou às autoridades de Hong Kong para porem termo à violência. A Associação de Jornalistas de Hong Kong também já condenou os incidentes de violência contra a imprensa. 

O texto redigido por Jamie Wiseman, colaborador International Press Institute, identifica várias destas agressões.

« ... 5  6  7  8  9  10  11  12  13  ... »
  
PESQUISA AVANÇADA
PESQUISAR POR DATA
PESQUISAR POR CATEGORIA
PESQUISAR POR PALAVRA-CHAVE

O Clube

Este site do Clube, lançado em Novembro de 2016, e com  actividade regular desde então, tem-se afirmado tanto como roteiro do que acontece de novo na paisagem mediática, como ainda no aprofundamento do debate sobre as questões mais relevantes do jornalismo, além do acompanhamento e divulgação das iniciativas do CPI.

O resultado deste esforço tem sido notório, com a fixação de um crescente número de visitantes, oriundos de uma alargada panóplia de países, com relevo para os de língua portuguesa, facto que é muito estimulante e encorajador. 


ver mais >
Opinião
Apoiar a comunicação social
Francisco Sarsfield Cabral
O Presidente da República voltou a falar na necessidade de o Estado tomar medidas de apoio à comunicação social. Marcelo Rebelo de Sousa discursava na apresentação de um programa do “Público” para dar a estudantes universitários acesso gratuito a assinaturas daquele jornal, com o apoio de entidades privadas que pagam metade dos custos envolvidos. O Presidente entende, e bem, que o Estado tem responsabilidades neste campo e...
A “tabloidizacão” dos media portugueses parece imparável, com as televisões na dianteira, privadas e pública, sejam os canais generalistas ou temáticos. A obsessão pelos “casos” que puxem ao drama, ao pasmo ou à lágrima, tomou conta dos telejornais e da Imprensa. A frenética disputa das audiências nas TVs e a queda continuada das vendas nos jornais são, normalmente, apontadas...
Ainda a nova legislatura não começou e já surgiu o primeiro caso político em torno da RTP. Infelizmente foi causado pelo comportamento recente da Direcção de Informação da estação em relação a um dos programas dessa área com maior audiência, o “Sexta às 9”, de Sandra Felgueiras, que regularmente apresenta investigações sobre casos da actualidade nacional.   O...