Segunda-feira, 16 de Setembro, 2019

  

Grupo Figaro rescinde contrato de 30 a 40 jornalistas

Media Galeria

O Grupo Le Figaro prevê a extinção de três a quatro dezenas de postos de trabalho sobre um total de 450 jornalistas das suas várias redacções, durante o ano de 2019. Esta medida é incluída num plano de aceleração da passagem ao digital, e num momento em que as receitas da publicidade estão em baixa.

Outras economias, tendo em vista alargar a margem de manobra financeira para investir, serão procuradas noutros departamentos do Grupo, por exemplo fechando um serviço dependente da TV Magazine, o suplemento de televisão do Figaro, que fornecia as grelhas de programas à Imprensa diária regional.

Facebook abre aos editores o suporte de assinaturas

Media Galeria

O Facebook anunciou o alargamento do suporte de assinaturas em Instant Articles aos editores dos media qualificados, depois de um ano e meio de testes em quatro dezenas de meios de comunicação. Em comunicado agora divulgado, a plataforma declara que esta nova ferramenta “vai permitir aos editores definir formas inovadoras de rentabilizar os seus conteúdos”, seja na base do modelo vinculado a um número específico de artigos por mês, seja num modelo freemium, que deixa alguns artigos disponíveis e outros bloqueados.

A referida rede afirma que o sistema de assinaturas no Instant Articles dá aos editores “controlo completo da sua relação com os leitores”. Isto porque as transações relacionadas com as assinaturas são feitas nos websites das próprias publicações, incluindo as datas de utilização, o preço e os pagamentos.

Dos “Like “ao “Amén” no dia Mundial das Comunicações

Efeméride Galeria

O Dia Mundial das Comunicações Sociais, lançado há 53 anos, e que voltou a comemorar-se, é uma data se reveste de particular significado para a Igreja Católica.

Sob o lema “Somos membros uns dos outros: das comunidades de redes sociais à comunidade humana”, a Igreja propôs-se uma reflexão alargada para restituir à comunicação uma perspectiva ampla, baseada na pessoa, enfatizando o valor da interação, entendida sempre como diálogo e oportunidade de encontro com o outro.

Na mensagem divulgada na oportunidade, o Papa Francisco abordou algumas realidades que se manifestam negativamente no ambiente digital, tais como a exposição à desinformação e à distorção consciente e pilotada dos factos e relações interpessoais; o uso manipulador dos dados pessoais; o cyberbullyng no meio adolescente; a identidade nas comunidades digitais, fundada na contraposição do outro; e a realidade do isolamento, apontada como motivadora para existência dos "jovens eremitas sociais".

Observador distinguido com o “Prémio Imprensa e Digital Media”

Media Galeria

O Jornal digital Observador foi distinguido pela revista Marketeer com o Prémio na categoria “Imprensa e Digital — Media”, em 2019. Outros vencedores, na área dos media foram a SIC e a Rádio Comercial.

Os Prémios, organizados pela revista especializada Marketeer, distinguem as marcas em Portugal em 34 categorias, designadamente na área dos meios de comunicação social.

A rejeição dos Media no Festival Internacional de Jornalismo

Mundo Galeria

Um dos sete grandes temas propostos no Festival Internacional de Jornalismo 2019, organizado pelo Grupo Le Monde em Couthures, nas margens do rio Garonne, em meados de Julho próximo, é o da rejeição dos media e dos jornalistas, aspecto incontornável do movimento dos “coletes amarelos”. E para entrar de frente na questão, logo a seguir à sessão de abertura, na manhã de sexta 12, a grande-repórter Florence Aubenas e o fotojornalista Edouard Elias, que fizeram para Le Monde a reportagem das grandes manifestações de Dezembro de 2018, vão partilhar a mesa de debate com quatro gilets jaunes da região de Marmande.

Entre outros jornalistas que conheceram a agressividade nas ruas de Paris, Céline Pigalle, chefe da redacção da BFM-TV, um canal de televisão particularmente visado, o historiador Alexis Lévrier e as deputadas Aurore Bergé e Clémentine Autain serão participantes nesta reflexão colectiva sobre as causas e as consequências desta contestação.

O Festival Internacional de Jornalismo, agora na sua quarta edição, decorre durante todo esse fim-de-semana, de 12 a 14 de Julho.

“O Corvo” de Lisboa fechou as asas...

Media Galeria

Seis anos exactos foi o tempo de vida do jornal digital O Corvo, dedicado à cidade de Lisboa, mas que nem mesmo assim conseguiu suportar o “sufoco financeiro” em que tem vivido.

“Lutámos, lutámos, lutámos, mas não foi possível manter o projecto”  - contou ao Público o director da publicação, Samuel Alemão, que a fundou  com mais dois antigos jornalistas do mesmo diário, Fernanda Ribeiro e Francisco Neves.

“O fim chega por não termos conseguido encontrar forma de garantir a sustentabilidade financeira indispensável à continuidade do jornal. Apesar dos esforços desenvolvidos desde o início do projecto, a 1 de Março de 2013, e com especial vigor nos últimos dois anos, após o renovado impulso nascido de uma reconfiguração do capital da empresa, esgotámos a capacidade para continuar a fazer jornalismo independente”  -  diz o texto de despedida.

Prémios APM de Jornalismo completam 80 anos

Media Galeria

Foram atribuídos os Prémios APM de Jornalismo referentes aos trabalhos publicados em 2018, distinguindo Mariano Guindal, de La Vanguardia e da Agência Colpisa,  Javier Chicote, do diário ABC,  María José Escalera, da Telemadrid,  e Blanca Pou, da delegação balear da Agência Europa Press.

O júri que procedeu a esta escolha é constituído pela Junta Directiva da APM – Asociación de la Prensa de Madrid, com a qual mantemos um acordo de parceria. O acto de entrega dos Prémios será a 20 de Junho, no Pavilhão dos Jardins de Cecilio Rodríguez, no Parque de El Retiro, em Madrid.

Os Prémios APM de Jornalismo celebram, este ano, a sua 80ª edição.

"Conteúdo patrocinado" não pode ser feito por jornalistas

Media Galeria

A Comissão da Carteira Profissional de Jornalista declara, na sequência de pedidos de informação que lhe foram dirigidos, ter conhecimento da “pressão a que muitos jornalistas, com carteira profissional, estão a ser sujeitos a produzir conteúdos patrocinados na forma de notícias, reportagens, entrevistas e outros géneros jornalísticos”.

Em comunicado intitulado “Recomendação sobre conteúdos patrocinados”, a CCPJ esclarece que o “jornalismo patrocinado” é expressamente proibido pelo Estatuto do Jornalista e que o jornalista que participe na sua concepção ou apresentação incorre  numa contraordenação “punível com coima”, podendo ainda ser objecto de “interdição do exercício da profissão por um período máximo de 12 meses, tendo em conta a sua gravidade e a culpa do agente”.

« ... 5  6  7  8  9  10  11  12  13  ... »
  
PESQUISA AVANÇADA
PESQUISAR POR DATA
PESQUISAR POR CATEGORIA
PESQUISAR POR PALAVRA-CHAVE

O Clube


Retomamos este site do Clube num ambiente depressivo para os media portugueses. Os dados da APCT  que inserimos noutro espaço, relativos ao primeiro semestre do ano, confirmam uma tendência decrescente da circulação impressa, afectando a quase totalidade dos jornais.

Pior: na maior parte dos casos a subscrição digital está longe de compensar essas perdas, havendo ainda situações em vias de um desfecho crítico.


ver mais >
Opinião
O chamado “jornalismo de causas “  voltou a estar na moda. E sobram os temas:  a “emergência climática”,   assumida por António Guterres enquanto secretário geral da ONU,  numa capa caricata da “Time”;  o “feito” de uma adolescente nórdica,   que atravessou o Atlântico num veleiro de luxo -  a pretexto de assim  reduzir o impacto ambiental -, para participar...
As limitações do nosso jornalismo
Francisco Sarsfield Cabral
J.-M. Nobre-Correia, professor emérito de Informação e Comunicação da Universidade Livre de Bruxelas, escreveu no “Público” um artigo bastante crítico da qualidade do actual jornalismo português. Em carta ao director, uma leitora deste jornal aplaudiu esse artigo, dizendo nomeadamente: “Os problemas, com que se defrontam no dia-a-dia os cidadãos, não são investigados, em detrimento de...
Uma das coisas em que a informação sobre o mercado publicitário português peca é na análise das contas que são ganhas pelas agências de meios aqui em Portugal. Volta e meia vejo notícias do género a marca X decidiu atribuir a sua conta de publicidade em Portugal à agência Y. Quando se vai a ver, o que aconteceu é que a marca internacional X decidiu num qualquer escritório em Londres, Paris ou Berlim,...