Quinta-feira, 22 de Outubro, 2020

  

Google e imprensa francesa de acordo sobre "direitos conexos"

Mundo Galeria

A Google está prestes a estabelecer um acordo com a “Alliance Française de La Presse D'information Générale (APIG)”, sobre a questão "direitos conexos", respeitante a receitas publicitárias.

O CEO da Google France, Sébastien Missoffe, saudou "os progressos, registados nos últimos meses, ao abrigo da lei francesa”, e garantiu querer “apoiar o jornalismo e assegurar que todos os cidadãos tenham acesso contínuo a conteúdos de qualidade".

Recorde-se que a Google e a imprensa francesa depararam-se com um impasse quanto à aplicação da legislação europeia, conhecida como "direitos conexos", que deveria assegurar a remuneração de publicações, cujos artigos são agregados no serviço Google News. 

Até agora, a Google recusou-se a pagar o montante estabelecido, e os editores de imprensa acusaram a empresa tecnológica de violar a lei francesa.

O anúncio da Google surge, agora, na véspera de uma importante decisão do Tribunal de Recurso de Paris, que deve avaliar a conduta da Autoridade da Concorrência, quanto à exigência do pagamento.

Instagram com novidades no 10º aniversário

Tecnologia Galeria

A rede social Instagram celebrou o 10º aniversário, no início de Outubro, e decidiu assinalar a data com o lançamento de novas ferramentas, que têm como objectivo melhorar a experiência do utilizador.

Uma das principais metas estabelecidas pela plataforma, que pertence ao grupo Facebook, é zelar pela saúde mental dos seus utilizadores. Nesse âmbito, o Instagram apresentou duas novidades, que prometem reduzir as interacções negativas, como o assédio ou o “bullying”

“Uma das áreas em que nos focámos foi [ a do assédio], e aí demos prioridade aos mais jovens, porque [o ‘bullying’] persegue-te para onde quer que vás. Queremos dar poder a quem é alvo destes comportamentos”, esclareceu o director da rede social, Adam Mosseri, numa conferência “online”.

Neste contexto, a “app” já começou a testar uma opção que esconde, automaticamente, comentários negativos.
Além disso, o Instagram vai permitir que os utilizadores restrinjam a acção de alguns seguidores, no seu perfil. 


SIC lança serviço de “streaming” com conteúdos exclusivos

Media Galeria

A SIC vai lançar, em Novembro, o OPTO SIC, um serviço de “streaming”, que incluirá conteúdos exclusivos de personalidades como César Mourão, Ricardo Araújo Pereira, Bruno Nogueira e Ljubomir Stanisic.

Em comunicado, o Grupo Impresa (detentor do canal), destacou, ainda o lançamento das séries “A Generala” e O Clube “ bem como de um “magazine” informativo com Clara de Sousa.

“Hoje damos mais um passo nesse caminho, através do lançamento de uma nova plataforma que revolucionará o panorama dos ‘media’ em Portugal e, mais importante, constituirá uma nova forma do nosso público poder aceder aos melhores conteúdos audiovisuais portugueses”, garantiu Francisco Pedro Balsemão, CEO do Grupo.

A “OPTO SIC terá duas versões: uma versão gratuita (...) e uma versão ‘premium’, à qual se acrescenta (...) conteúdos exclusivos e a possibilidade de ver episódios de novelas que passam na antena na SIC 24h antes da sua emissão, ‘catchup’ de 30 dias SIC generalista e dois noticiários diários com a possibilidade de escolher entre a duração de 10, 15 ou 20 minutos”, pode ler-se no comunicado.


Jornalistas angolanos contra censura na televisão estatal

Mundo Galeria

O Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) condenou o facto de não ter sido transmitida, na TV Zimbo, a rubrica “Direto ao Ponto” do jornalista e economista angolano, Carlos Rosado de Carvalho.

De acordo com o SJA, a Comissão de Gestão terá travado a intervenção, porque abordava as suspeitas de enriquecimento ilícito do chefe do Gabinete do Presidente da República de Angola.

Em declarações à Lusa, o jornalista disse não ter dúvidas de que se tratou de um acto de censura. 

No final de Julho, a TV Zimbo, a Rádio Mais e o jornal “O País” foram entregues ao Estado, no âmbito do processo de recuperação de activos criados com fundos públicos, segundo a Procuradoria-Geral da República. 

Para o Sindicato, o acto da Comissão de Gestão da TV Zimbo, “contraria manifestamente a promessa do ministro das Telecomunicações e Comunicação Social de manter inalterável a linha editorial da TV Zimbo e outros órgãos transferidos para a esfera do Estado”.


Comissão condena restrições à liberdade de imprensa no Brasil

Mundo Galeria

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) reuniu-se para denunciar violações ao direito à informação no Brasil, bem como os seus efeitos sobre populações historicamente vulneráveis.

No decorrer da audiência, a comissão começou por responsabilizar o governo brasileiro, uma vez que partiram do próprio poder executivo as decisões que provocaram um “apagão” de dados sobre a covid-19 no país. 

Foi ainda abordada a desigualdade no acesso à internet no território brasileiro, como um dos factores que agravam as condições de vida dos grupos populacionais já referido , deixando-os ainda mais expostos à crise sanitária, económica e social que o mundo atravessa.

As organizações quiseram, igualmente, reforçar o  pedido de visita da Relatoria para a Liberdade de Expressão da CIDH ao país. 


Instagram preocupado com transparência noticiosa

Mundo Galeria

A empresa de tecnologia Facebook passou a “etiquetar” as páginas de “media” controladas por governos. A medida foi anunciada em Outubro do ano passado, e começou, agora, a ser implementada na rede social Instagram (que pertence ao mesmo Grupo).

"O Instagram define 'meios de comunicação social controlados pelo Estado' como aqueles que podem estar, parcial ou totalmente, sob o controlo editorial do seu governo, com base na nossa própria investigação e avaliação em relação a um conjunto de critérios desenvolvidos para o efeito", pode ler-se na página na empresa "Aplicamos um padrão de transparência mais elevado a estas contas, porque acreditamos que combinam a influência de uma organização noticiosa com o apoio de um Estado".

Algumas das páginas “etiquetadas” são controladas pelo Kremlin e os seus conteúdos dirigem-se a jovens eleitores.

Para já, esta funcionalidade só se encontra disponível para utilizadores norte-americanos.


"Diário de Notícias" poderá retomar edições diárias em papel

Media Galeria

O “Diário de Notícias” (DN) poderá voltar a ter uma edição impressa diária, anunciou o empresário Marco Galinha, em entrevista ao jornal “Público”. Assim, o DN recuperará o modelo “perdido” em Junho de 2018, altura em que a circulação passou a ser semanal. 

“O ‘Diário de Notícias’ tem que passar a diário em papel novamente — um diário semanal não faz sentido —, Com mais foco no digital e menos no papel, mas o papel nunca vai acabar”, afirmou o empresário.

Marco Galinha revelou, igualmente, ter planos para o jornal desportivo “O Jogo”, que passará a ter uma “versão Porto e outra Lisboa”.

O empresário, que finalizará, em breve, a aquisição de 40% do Grupo Global Media, anunciou, igualmente, que já tem em vista o aumento das suas participações para um controlo maioritário (de 51%) da empresa. 

Além disso, Marco Galinha garantiu que redução de custos e os 120 despedimentos previstos não incidirão, maioritariamente, em jornalistas: “O plano que eu conheço não é de redução de jornalistas”. Até porque, no futuro, o empresário pretende contratar mais jovens jornalistas, como forma de investir na qualidade das publicações do Grupo.


Intensifica-se a "guerra" entre a Cofina e Mário Ferreira

Media Galeria

O “Correio da Manhã” e a CMTV avançaram com uma queixa-crime contra Mário Ferreira. Em causa está a queixa, do accionista da Media Capital, enviada à Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), na qual  afirmou ser alvo de “ataques” por parte das publicações do Grupo Cofina.

O processo foi anunciado através de um editorial publicado pelo “Correio da Manhã”.

“Na sequência de notícias sobre a mudança de poder em curso na Media Capital, Mário Ferreira apresentou uma queixa na ERC contra a Cofina. A direcção do Correio da Manhã e da CMTV mandatou os seus advogados para avançarem com queixa-crime por difamação contra o empresário e seus aliados, que o secundaram, por considerarmos esse acto um ataque à nossa dignidade profissional”, pode ler-se no editorial.

O Grupo assegurou, também, que continuará a publicar artigos sobre o empresário. “Sobre a mudança de poder em curso continuaremos a investigar o currículo, em alguns casos o cadastro, dos investidores, e tentar saber a origem do dinheiro. E continuaremos a escrutinar o papel das autoridades reguladoras no processo”.

1  2  3  4  5  6  7  8  9  ... »
  
PESQUISA AVANÇADA
PESQUISAR POR DATA
PESQUISAR POR CATEGORIA
PESQUISAR POR PALAVRA-CHAVE

O Clube


Terminada a pausa de Agosto, este site do CPI  retoma a sua actividade e as  actualizações diárias, num contacto regular que faz parte da rotina de consulta dos nossos associados e parceiros, e que  tem vindo a atrair um confortável e crescente número de visitantes em Portugal e um pouco por todo o mundo, com relevo para os países lusófonos.

Sem prejuízo de  algumas alterações de estrutura funcional , o site continuará  acompanhar, a par e passo,  as iniciativas do Clube, bem como o  que de mais relevante  ocorrer no País e fora dele em matéria de jornalismo,  jornalistas e de liberdade de expressão.

Os media enfrentam uma situação complexa e, para muitos,  não se adivinha um desfecho airoso. 

O futuro dos media independentes está tingido de sombras.  E o das associações independentes de jornalistas – como é o caso do Clube Português de Imprensa – não se antevê, também, isento de dificuldades, que saberemos vencer, como vencemos outras ao longo de quase quatro décadas de história, que se completam este ano.

Desde a sua fundação, em 1980, o CPI viveu exclusivamente  com o apoio dos sócios, e de alguns mecenas que quiseram acompanhar os esforços do Clube,  identificado com uma sólida  profissão de fé em defesa do jornalismo e dos jornalistas.



ver mais >
Opinião
No final de 2016 a Newspaper Association Of America, que representava cerca de 2000 publicações nos Estados Unidos e no Canadá, anunciou a sua transformação em News Media Alliance, reflectindo a evolução do sector e passando a incorporar as diversas plataformas em que os grupos produtores de informação qualificada se desdobraram ao longo dos últimos anos, coexistindo o papel com os formatos digitais, mas também video,...
O acesso dos jornalistas da BBC às redes sociais pode vir a ser condicionado, segundo revelou o novo director geral do operador público inglês, Tim Davie. A decisão é polémica, mas haja quem lhe atire “a primeira pedra” ao argumentar , numa comissão parlamentar especializada, onde foi ouvido, que "se alguém é o rosto da BBC e entra em política partidária, não me parece que seja o lugar certo para...
Jornalistas: nem heróis nem vilões
Francisco Sarsfield Cabral
No  jornal “Público” de sábado,  J. Pacheco Pereira elogiou Vicente Jorge Silva porque “fez uma coisa rara entre nós – fez obra. Não tanto como jornalista, mas como criador no terreno da comunicação social”. E destacou o papel do jornal madeirense “Comércio do Funchal”, que, apesar da censura, conseguiu criticar o regime então vigente. Até ao 25 de Abril este jornal logrou,...
De acordo com Carlos Camponez , o «jornalismo de proximidade», porque realmente está mais próximo dos leitores da comunidade onde se integra, pode desempenhar um papel fundamental, «assumindo uma perspetiva de compromisso no incentivo à vida pública». Neste contexto, aquele investigador aponta para a ideia da criação de uma agenda do cidadão, o que, por sua vez, «obriga a que os media invistam em técnicas...
Acordaram para o incumprimento reiterado de alguns órgãos de informação em matéria deontológica? Só perceberam agora. Não deram pela cobertura dos casos Sócrates e companhia, não assistiram à novela Rosa Grilo? Perceberam finalmente que se pratica em Portugal, às vezes e em alguns casos senão mau, pelo menos péssimo jornalismo? Não estamos todos no mesmo saco. Não somos todos iguais....