null, 5 de Julho, 2020

  

BBC limita cobertura jornalística regional

Media Galeria

A cobertura regional no Reino Unido está cada vez mais enfraquecida, agora que a BBC anunciou a demissão de 450 colaboradores, que integravam a equipa da BBC England.

Da mesma forma, o operador público britânico anunciou que vai deixar de emitir o programa “Inside Out”, cuja equipa realizava reportagens de investigações em 11 regiões do país.

Perante o anúncio, a  União Nacional de Jornalistas expressou a sua indignação, considerando que o plano teria efeitos negativos na "capacidade de a BBC representar todas as partes do país, bem como de produzir notícias locais e jornalismo de investigação de alta qualidade".

As estações de rádio e os boletins de televisão locais da BBC serão, particularmente, “vitimados”, com uma redução substancial do número de colaboradores. Todas as estações funcionarão com apenas três programas diurnos e as parcerias de apresentadores deixarão de existir.

No entanto, os programas regionais de “Política de Domingo” voltarão a ser emitidos, em Setembro, após pressão do Governo.


Grupo editorial Paris-Turf muda de mãos

Media Galeria

O Grupo de jornalismo Paris-Turf foi adquirido pelo empresário Xavier Niel, de acordo com a decisão do Tribunal Comercial de Bobigny. 

O plano de Xavier Niel -- que é, também, co-proprietário do Grupo Le Monde -- passa por  manter cerca de metade da equipa actual, ou seja, 121 jornalistas regulares e 30 “freelancers”.

Os colaboradores expressaram as suas reservas perante decisão, já que apoiavam a proposta concorrente, mais favorável à manutenção da equipa original.

A proposta de Niel exige, ainda, o encerramento das edições impressas dos diários “Bilto” e “Tiercé Magazine”, bem como das revistas mensais “Stato”, “Cheval Magazine” e “Cheval Pratique”

Da mesma forma, o “site” “Aix-en-Provence” deverá encerrar.


Jornal “El País” relança versão digital no México

Media Galeria

Com uma nova direcção chegou uma nova aposta digital. “El País” lançou, pela segunda vez, uma versão “online” do “El País Mexico”

Além da actualidade diária, a versão foca-se em segmentos de análise de dados, assim como em perfis sobre algumas das principais personalidades mexicanas.

"Temos uma redacção cheia de jornalistas jovens e brilhantes, com muita força e dinamismo, que cobrem as notícias mexicanas. Acreditamos que temos tudo o que é preciso para poder oferecer uma edição especializada aos nossos leitores", sublinhou o director do jornal, Javier Moreno, que assumiu funções em Junho, e que já  dirigiu a edição latino-americana do jornal.

Acima de tudo, o jornal quer responder às necessidades e exigências dos oito milhões de mexicanos que visitam, mensalmente, o “site” do “El País”.


Portugueses continuam a frequentar plataformas virtuais

Redes Sociais Galeria

As redes sociais tornaram-se plataformas indissociáveis da sociedade contemporânea e passaram a ser assinaladas, mundialmente, a 29 de Junho.

Como forma de ressalvar a importância destas plataformas para os cidadãos portugueses, o “site” “Meios & Publicidade” recordou as principais conclusões da última edição do estudo “Os Portugueses e as Redes Sociais”, produzido pela Marktest e divulgado no final de 2019.

De acordo com o estudo da Marktest, o Facebook continua a ser a rede social mais popular, onde mais portugueses têm perfil criado. Contudo, a notoriedade do Instagram tem crescido, de forma evidente.

Por outro lado, o número de portugueses com conta de WhatsApp duplicou nos últimos três anos.

A utilização das redes sociais pelos jovens permite antever o futuro a nível de popularidade: entre o grupo de utilizadores dos 15 aos 24 anos, o Instagram já se tornou na rede social mais frequentada, ultrapassando o Facebook, em claro decréscimo junto deste grupo etário.


Editora da "Vogue Internacional" de saída

Media Galeria

Suzy Menkes está de saída da “Vogue”. Aos 76 anos, e no cargo de editora da “Vogue Internacional” desde 2014, a veterana do jornalismo de moda deverá cessar funções em Outubro.

“Aproveitei cada momento como editora na Vogue Internacional e orgulho-me de tudo o que conquistei na empresa. A actual situação global proporcionou-me — como a todos nós — um momento de pausa e reflexão. Está na altura de partir para uma nova aventura, que aguardo ansiosamente”, afirmou a jornalista britânica em declarações ao “Business of Fashion”.

Entretanto, Menkes já fez saber que continuará a produzir conteúdos sobre moda.


Bruxelas apoia centros de controlo das “fake news”

Mundo Galeria

A Comissão Europeia vai alocar nove milhões de euros para a criação de “centros de investigação nacionais e multinacionais”, que apoiem os verificadores de notícias (hubs) de âmbito digital.

“Estes centros especializar-se-ão nas crescentes vulnerabilidades dos meios digitais, que têm especial relevância dentro do território e no âmbito linguístico em que irão operar”, salientou, em declaração, o executivo comunitário.

Assim, estes “hubs” de verificação de notícias irão analisar as campanhas de desinformação e os seus efeitos na sociedade, bem como, promover a literacia mediática e monitorizar as políticas das plataformas “online”, referiu a Comissão Europeia.

Entre os objectivos destes centros multidisciplinares destacam-se a “detecção e análise” das campanhas de desinformação, o estudo do seu impacto social, a promoção da “alfabetização digital” e o controlo das políticas nacionais neste campo.


“WSJ” lança projecto para público jovem

Media Galeria

Com o objectivo de atrair uma audiência mais jovem, o “Wall Street Journal” lançou, recentemente, o “WSJ Noted”, cujos conteúdos serão partilhados no Facebook, Linkedin e Instagram.

Os editores do projecto garantem que o “WSJ Noted” não se trata de algo alheio ao jornal, mas antes de um suplemento, que disponibiliza artigos gratuitos, em plataformas utilizadas por jovens dos 18 aos 34 anos.

Esses conteúdos estarão, igualmente, disponíveis na versão impressa e no “site” do jornal.

Os artigos já publicados pelo “WSJ Noted” incluem conteúdos multiplataforma sobre o coronavírus: “Notes on the Pandemic” e “Coronavirus Video Diaries.


Google vai passar a pagar conteúdos dos “media”

Mundo Galeria

A Google vai passar a pagar aos “media”, para partilhar os seus conteúdos nos serviços “News” e “Discover”.

Numa publicação no blogue oficial da empresa, o vice-presidente para a gestão de produtos, Brad Bender, explicou que o programa será lançado “ainda este ano” e envolverá, numa fase inicial, os Diários Associados do Brasil, o Grupo alemão Der Spiegel e o Solstice Media da Austrália.

De acordo com Bender, a ideia é ajudar os “media” a “rentabilizar os seus conteúdos através de uma experiência enriquecida de dar notícias, que permita aos leitores mergulharem em histórias complexas, serem informados e expostos a um mundo de diferentes questões e interesses”.Da mesma forma, a Google pagará pelos conteúdos que, normalmente, só estão acessíveis por assinatura, para que os utilizadores possam visitá-los gratuitamente através dos portais da empresa.



1  2  3  4  5  6  7  8  9  ... »
PESQUISA AVANÇADA
PESQUISAR POR DATA
PESQUISAR POR CATEGORIA
PESQUISAR POR PALAVRA-CHAVE

O Clube


A pandemia trouxe dificuldades acrescidas aos
media e as associações do sector não passaram incólumes, forçadas a fechar a porta e a manter o contacto com os seus associados através de meios virtuais, como é o caso deste “site” do Clube.

Ao longo da fase mais aguda do coronavírus e da quarentena imposta em defesa da saúde pública, continuámos, como prometemos, em regime de teletrabalho,  mantendo a actualização regular  do “site”, por considerarmos importante  para os jornalistas  ter à sua disposição um espaço, desenhado a  rigor,  com o retrato diário  dos factos e tendências  mais relevantes que foram acontecendo no mundo mediático durante a crise.

É um trabalho sempre  incompleto, até porque a crise, com origem no vírus, veio aprofundar e agravar a outra crise estrutural já existente, em particular, na Imprensa.    

Mas o Clube foi recompensado por não ter desistido,  com o aumento significativo  da projecção  deste “site”, na ordem dos  63,2% de utilizadores regulares, comparativamente com o ano anterior, medidos pela Google Analytics.

Note–se que se verificou este  crescimento não obstante o “site” ter sido vítima, por duas vezes, de ataques informáticos, que nos bloquearam durante vários dias.  

É uma excelente “performance” que nos apraz partilhar com os associados e outros frequentadores interessados em conhecer, a par e passo,  os problemas que estão dominar os media, sem esquecer a inovação e a criatividade, factores  indispensáveis para salvar muitos  projectos.

Concluímos hoje  como o fizemos há meses, quando precisámos de mudar de rotinas, perante o vírus instalado entre nós: Contem com o Clube como o Clube deseja contar convosco.


ver mais >
Opinião
Uma certeza que nasceu nos últimos meses é a facilidade com que as pessoas mudam de hábitos. Em consequência o comportamento face ao consumo de conteúdos está a modificar-se cada vez de forma mais rápida e os mais novos são claramente os que com maior facilidade adoptam novidades. Durante o confinamento e a explosão de uso da internet houve uma aplicação que ganhou destaque em todo o mundo – o Tik Tok. Trata-se...
A internet e a liberdade de expressão
Francisco Sarsfield Cabral
As notícias falsas, os insultos, os apelos ao ódio, etc. abundam na internet. Mas criar uma qualquer censura é muito perigoso e iliberal. A intolerância com os intolerantes costuma acabar mal, diz-nos a história. O presidente Trump, que tinha lamentado a morte pela polícia de Minneapolis de um negro que estava a ser aprisionado, reagiu às violentas manifestações naquela cidade, chamando “bandidos” aos manifestantes e...
À medida que a pandemia parece mais controlada e o regresso ao trabalho se faz, conforme as regras de desconfinamento gradual, instalou-se uma “guerra mediática” de contornos invulgares, favorecida pela trapalhada da distribuição de apoios anunciados pelo governo, supostamente,  através da compra antecipada de espaço para publicidade institucional. Primeiro assistiu-se a uma “guerra “ privada, entre a Cofina e o...
Numa era digital, marcada por uma constante e acelerada mudança, caracterizada por um globalismo padronizador de culturas e de costumes, muitas indústrias e profissões estão a alterar-se totalmente, ou até mesmo a desaparecer. Tudo isto se passa num ritmo freneticamente acelerado, que nos afoga literalmente num caudal de informação, muitas vezes difícil de filtrar e descodificar em tempo útil. A evolução...
Acordaram para o incumprimento reiterado de alguns órgãos de informação em matéria deontológica? Só perceberam agora. Não deram pela cobertura dos casos Sócrates e companhia, não assistiram à novela Rosa Grilo? Perceberam finalmente que se pratica em Portugal, às vezes e em alguns casos senão mau, pelo menos péssimo jornalismo? Não estamos todos no mesmo saco. Não somos todos iguais....