Quinta-feira, 17 de Outubro, 2019
Breves

Eleições em Rede 2019

Eleições em Rede 2019 é um projecto dinamizado pelo podcast "Perguntar Não Ofende", do jornalista Daniel Oliveira, secundado pelos meios digitais Fumaça, Sul Informação e Médio Tejo, e pelos semanários Jornal de Leiria e Jornal do Fundão, além dasestações Rádio Universitária do Minho, Rádio Universitária de Coimbra e Rádio Universitária da Beira Interior em conjunto com o Urbi et Orbi – Jornal Universitário da Beira Interior. Estes projectos agruparam-se com o objectivo de partilhar conteúdos e de se apoiarem no tratamento informativo das Eleições Legislativas, a 6 de Outubro. Está prevista a organização de debates com os líderes dos partidos representados no Parlamento, e de entrevistas com cabeças de lista por distrito.

Connosco
Site venezuelano de investigação premiado em Nova Iorque Ver galeria

O site venezuelano Armando.info foi distinguido com menção honrosa do prémio Cabot 2019, instituído pela Escola de Jornalismo da Universidade de Columbia, em Nova Iorque. 

O projecto surgiu em 2010, devido à necessidade de promover investigações jornalísticas que transcendessem a agenda dos meios tradicionais. 

Quando se aperceberam de que o governo estava a adquirir media para poder censurá-los, o grupo de jornalistas considerou que era o momento de criar um espaço de jornalismo independente.

Actualmente, os fundadores do site encontram-se exilados, depois de terem sido processados por difamação e injúria devido a reportagens que realizaram. Apesar de a equipa estar dividida entre Bogotá e Caracas, continuam as operações e as investigações jornalísticas.

O júri do prémio decidiu, assim, atribuir a menção especial ao projecto, que consideram ser “publicado por um grupo de valentes jornalistas investigativos que operam num dos ambientes mais hostis à imprensa livre". 

Knight Center publicou no seu site a entrevista a Joseph Poliszuk, um dos fundadores do projecto.

Ser jornalista no México é tornar-se “correspondente de guerra sem sair da sua terra” Ver galeria

Marcela Turati foi reconhecida com o Prémio Maria Moors Cabot 2019, atribuído pela Escola de Jornalismo da Universidade de Columbia, pela sua excelência profissional e por promover, com as suas reportagens, um melhor entendimento interamericano.

É fundadora, com outros jornalistas, da rede Periodistas de a Pie e do portal de investigação Quinto Elemento Lab, colectivos que procuram defender a liberdade de expressão e apoiar o exercício do jornalismo em regiões pobres e perigosas.

A jornalista deu uma entrevista ao Knight Center, na qual falou do seu percurso profissional e das dificuldades enfrentadas no México para o exercício da profissão.
Para Turati, ser jornalista no país é um “desafio constante” e uma responsabilidade, equivalente a tornar-se “correspondente de guerra sem sair da sua terra”.

Desde 2008, que cobre casos de vítimas de violência, lidando regularmente com pessoas que têm familiares desaparecidos, testemunhas de massacres, entre outros. Como profissional, procura cobrir a violência a partir de uma abordagem de direitos humanos e o seu objectivo é continuar a contar estas histórias sem as normalizar.

O Observatório da Imprensa do Brasil, com o qual o CPI tem um acordo de parceria, publicou a entrevista com a jornalista no seu site.

O Clube


Retomamos este site do Clube num ambiente depressivo para os media portugueses. Os dados da APCT  que inserimos noutro espaço, relativos ao primeiro semestre do ano, confirmam uma tendência decrescente da circulação impressa, afectando a quase totalidade dos jornais.

Pior: na maior parte dos casos a subscrição digital está longe de compensar essas perdas, havendo ainda situações em vias de um desfecho crítico.


ver mais >
Opinião
O chamado “jornalismo de causas “  voltou a estar na moda. E sobram os temas:  a “emergência climática”,   assumida por António Guterres enquanto secretário geral da ONU,  numa capa caricata da “Time”;  o “feito” de uma adolescente nórdica,   que atravessou o Atlântico num veleiro de luxo -  a pretexto de assim  reduzir o impacto ambiental -, para participar...
As limitações do nosso jornalismo
Francisco Sarsfield Cabral
J.-M. Nobre-Correia, professor emérito de Informação e Comunicação da Universidade Livre de Bruxelas, escreveu no “Público” um artigo bastante crítico da qualidade do actual jornalismo português. Em carta ao director, uma leitora deste jornal aplaudiu esse artigo, dizendo nomeadamente: “Os problemas, com que se defrontam no dia-a-dia os cidadãos, não são investigados, em detrimento de...
Uma das coisas em que a informação sobre o mercado publicitário português peca é na análise das contas que são ganhas pelas agências de meios aqui em Portugal. Volta e meia vejo notícias do género a marca X decidiu atribuir a sua conta de publicidade em Portugal à agência Y. Quando se vai a ver, o que aconteceu é que a marca internacional X decidiu num qualquer escritório em Londres, Paris ou Berlim,...
Agenda
28
Out
Fotojornalismo e Direitos de Autor
09:00 @ Cenjor, Lisboa
01
Nov
1º Congresso Internacional de Rádios Lusófonas
14:30 @ Angra do Heroísmo, Açores
19
Nov
Connections Europe
09:00 @ Marriott Hotel, Amsterdão
21
Nov