Quarta-feira, 19 de Setembro, 2018
Estudo

Especialistas dividem-se sobre o futuro da verdade e da falsa informação na Internet

Há uma espécie de corrida às armas entre “os que exploram as vulnerabilidades humanas com tácticas de manipulação à velocidade da Internet” e, do outro lado, “os que procuram criar informação rigorosa e sistemas de divulgação dela que sejam fiáveis”. Entre uma coisa e outra, não sabemos responder de modo seguro à pergunta sobre se a tecnologia vai, durante a próxima década, melhorar ou piorar as nossas vidas. É esta a conclusão possível de um estudo que entrevistou mais de 1.100 especialistas na Internet e nas tecnologias que a servem, realizado no Verão de 2017 pelo Pew Research Center e pelo Imagining the Internet Center da Universidade de Elon, na Carolina do Norte.

Segundo a introdução do trabalho, tal como aparece no pewinternet.org, sob o título The Future of Truth and Misinformation Online, os peritos repartiram-se em dois grupos de dimensão semelhante:

“Os que prevêem uma melhoria põem as suas esperanças em apuramentos tecnológicos e soluções sociais. Outros pensam que o lado escuro da natureza humana é ajudado, mais do que suprimido pela tecnologia.” 

Feitas as contas, em resposta a esta “questão não-científica” [nonscientific canvassing, no original] sobre se o ecossistema da Informação vai melhorar nos próximos dez anos, 51% disseram que não, e 49% que sim. 

Segundo o artigo de Daniel Funke, do Poynter Institute, que aqui citamos, o relatório “concentra-se nas explicações dadas pelos participantes para as suas respostas, arrumando-os em dois campos ideológicos distintos: pessoas que acreditam que os humanos usam a tecnologia para o mal [nefariously] e pessoas que pensam que ela pode ser usada para o bem”. 

É citada a síntese do jornalista e investigador Tom Rosenstiel, director do American Press Institute

“A informação falsa não é como um problema de canalização que se possa consertar. É uma condição social, como o crime, que temos de verificar constantemente e ajustar-nos a ela.” 

Janna Anderson, co-autora do trabalho e directora do Imagining the Internet Center, disse que as respostas dos peritos identificaram alguns melhoramentos que os media têm de fazer, para contrariarem de modo efectivo a falsa informação: 

“Eles explicaram que o ecossistema da Informação não pode melhorar sem empresas noticiosas mais bem apetrechadas [de meios humanos], financeiramente estáveis e independentes, cujos sinais possam elevar-se acima do ruído da informação falsa, para criar uma base de ‘conhecimento comum’ dirigido ao público. Também insistiram em mais esforço de literacia para ajudar as pessoas a distinguirem o facto da falsidade.”

 

O artigo de chamada e o estudo, apresentado na PewInternet e na ElonUniversity. A imagem utilizada é uma secção da obra de Pieter Brueghel sobre a Torre de Babel

Connosco
Sem um jornalismo de qualidade não há antídoto contra a manipulação Ver galeria

A capacidade dos media para assegurarem o futuro da democracia foi posta à prova por grandes rupturas no seu modo de sustento e de funcionamento. É mais fácil fazermos o diagnóstico do que o prognóstico  -  e mais difícil ainda pormo-nos de acordo sobre a terapêutica. A jornalista britânica Emily Bell, docente na Universidade de Columbia, EUA, é aqui entrevistada pelo norueguês Anders Hofseth, editor da NRKbeta, sobre a viabilidade económica dos media e o serviço que prestam. Há um ponto em que Emily Bell declara que não mudou o seu pensamento, desde o tempo em que tinha responsabilidades editoriais em The Guardian: é que “temos de fazer um jornalismo de elevada qualidade acessível a toda a gente”.

A revolução digital chegou antes das regras do jogo Ver galeria

Está disponível, em formato digital, o manual intitulado “Ética Jornalística na Era Digital”, que reune em 32 páginas uma reflexão sobre algumas das questões mais actuais neste terreno, como as da “pós-verdade”, da instantaneidade do noticiário, da verdade numa era de violência, da investigação no jornalismo, da independência editorial, dos modelos de negócio nas empresas de media e do conceito de ética jornalística no presente. São seus autores Luis Manuel Botello, do Centro Internacional para Jornalistas (ICFJ) e Javier Darío Restrepo, da Fundación Gabriel García Marquez.

O Clube

Lançado em Novembro de 2015, este site do Clube Português de Imprensa tem desenvolvido, desde então, um trabalho de acompanhamento das tendências dominantes, quer no mercado de Imprensa, quer nos media audiovisuais em geral e na Internet em particular.

Interessa-nos, também, debater o jornalismo e o modo como é exercido, em Portugal e fora de fronteiras,  cumprindo um objectivo que está na génese desta Associação.


ver mais >
Opinião
Costuma dizer-se que “no melhor pano cai a nódoa”. E assim aconteceu com o prestigiado jornal americano “The New New York Times” ao decidir publicar, como opinião, um artigo não assinado com o sugestivo titulo “I Am Part of the Resistance Inside the Trump Administration”, que dispensa tradução. Depois do saudável movimento, que congregou, recentemente, 350 jornais americanos, em resposta ao apelo do The Boston Globe,...
Trump contra o jornalismo
Francisco Sarsfield Cabral
Numa iniciativa inédita, mais de 300 órgãos de comunicação dos EUA manifestaram na quinta-feira repúdio contra os violentos ataques de Trump ao jornalismo.  Como jornalista com muitos anos de profissão, tenho pena de reconhecer que a qualidade do produto jornalístico baixou ao longo das últimas décadas. Mas importa perceber porquê. No século XIX o jornalismo resumia-se a… jornais impressos....
Em meados do séc. XVIII, os parisienses que quisessem manter-se “au courant” àcerca do andamento da Guerra dos Sete Anos (iniciada em 1756) não tinham muitas escolhas. Se fizessem parte, dentre os 600 mil habitantes da capital francesa, da minoria que sabia ler – menos de metade dos homens e uma quarta parte das mulheres – e também estivessem entre os poucos privilegiados que podiam dar-se ao luxo de comprar um jornal, tinham três...
Agenda
20
Set
Google Analytics para Jornalistas
09:00 @ Cenjor,Lisboa
24
Set
Ateliê de Jornalismo Televisivo
09:00 @ Cenjor, Lisboa
24
Set
25
Set
The Radio Show
09:00 @ Orlando, Florida, USA