Quinta-feira, 21 de Junho, 2018
Opinião

Uma comunicação mal comunicada

por Francisco Sarsfield Cabral

A tragédia dos incêndios florestal tem evidenciado uma preocupante desorganização no seu combate. Essa desorganização também se manifesta no campo da comunicação social.

A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) anunciou há dias que passaria a concentrar a informação sobre os fogos em dois “briefings” diários na sua sede em Carnaxide – um de manhã, outro à tarde. Os bombeiros não gostaram; o presidente da Liga de Bombeiros falou mesmo em “lei da rolha”. Instalou-se a ideia que ANPC queria filtrar e eventualmente ocultar alguma informação. Os jornalistas também se insurgiram contra a anunciada medida, considerando indispensável terem informação fidedigna no terreno, no “teatro das operações”.

A ideia da “lei da rolha” parece afinal ser falsa: a nova directiva só se aplica aos elementos da estrutura operacional da ANPC, não aos comandantes dos bombeiros e outros operacionais no terreno. Digo “parece” porque esta clarificação passou largamente desapercebida, havendo ainda agora quem critique a aparente “mordaça” aos bombeiros. Vejam-se, por exemplo, os artigos de hoje (sexta-feira, 20) de José Manuel Fernandes no Observador e de Felisbela Lopes no Jornal de Notícias.

 

De facto, as primeiras explicações da ANPC sobre a tal directiva referiam justificações como “em situações excepcionais são precisas soluções excepcionais”. “Não temos qualquer interesse em esconder informação”, garantia Patrícia Gaspar, da ANPC. Mas é difícil confiar em que venha informação útil da parte de uma entidade que tão mal comunicou algo que lhe dizia respeito.

 

Para além deste caso envolvendo a ANPC, creio existir fraca consciência em algumas cabeças quanto à maneira como, actualmente, funciona a comunicação social: em permanente informação. Seja através das televisões (cinco canais informativos transmitindo notícias quase 24 horas por dia), seja pelas rádios, jornais, blogues,    

redes sociais, etc. Mesmo os jornais que apenas e publicam uma vez por dia têm, como os outros “media”, sites onde as notícias são actualizadas em permanência.

 

Da parte das autoridades deveriam existir pessoas qualificadas (bombeiros ou não) capazes de transmitir aos jornalistas informações seguras nos locais dos incêndios. Tem havido progressos, por exemplo na PSP, na informação pública. Esses progressos deveriam chegar, também ao combate aos incêndios florestais.

Connosco
Historiadora Bettany Hughes distinguida com Prémio Europeu Helena Vaz da Silva 2018 Ver galeria

A historiadora britânica Bettany Hughes, também editora e apresentadora de programas de televisão e rádio, é a vencedora do Prémio Europeu Helena Vaz da Silva para a Divulgação do Património Cultural 2018, segundo foi anunciado pelo respectivo júri. A escolha “tem por objectivo homenagear a personalidade excepcional de Hughes, demonstrada repetidamente na sua maneira de comunicar o passado de forma popular e entusiasmante”, tendo ainda em conta a necessidade “vital de construir uma visão da nossa identidade multifacetada”, numa era de nacionalismos e populismos, como se lê na declaração agora divulgada. A cerimónia de entrega do Prémio realiza-se no dia 15 de Novembro deste ano na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Abecedário para combater vulnerabilidade à desinformação Ver galeria

A facilidade com que se propaga a desinformação nas redes sociais tem vindo a ser objecto de estudo, para identificar as suas causas e propor um antídoto eficaz. O simples facto de os conteúdos de fraca qualidade se espalharem tão depressa sugere que, tanto as pessoas como os algoritmos na estrutura das plataformas, são vulneráveis à manipulação. Dois investigadores na Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, procuraram identificar três tipos dominantes de preconceito, ou tendenciosismo, e os seus espaços de actuação, para desenvolverem depois as ferramentas tecnológicas indicadas para tornar as pessoas conscientes desses perigos e agirem em conformidade. 

O Clube
O CPI – Clube Português de Imprensa voltou a participar no Prémio  Europeu Helena Vaz da Silva para a Divulgação do Património Cultural 2018,  instituído em 2013 pelo Centro Nacional de Cultura,  em cooperação com a Europa Nostra, a principal organização europeia de defesa do património,  que o CNC representa em Portugal.   O Prémio foi atribuído, este ano,  à...

ver mais >
Opinião
Agenda
25
Jun
Oficina de Reportagem
09:00 @ Cenjor,Lisboa
25
Jun
Women in Industry Forum
09:00 @ San Diego,EUA
26
Jun
VI Congresso Internacional da AE-IC “Comunicação e Conhecimento”.
09:00 @ Universidade de Salamanca, Salamanca, Espanha
26
Jun
BroadcastAsia
09:00 @ Suntec,Singapura
02
Jul