Terça-feira, 27 de Junho, 2017
Novas iniciativas

A arte do “podcast” tornada acessível a jornalistas com poucos meios

Há mais jornalistas a voltarem-se para o podcast, e mais audiência para os que têm aparecido recentemente. O do New York Times, por exemplo, já soma mais de 20 milhões de escutas desde que foi lançado, em Janeiro. Segundo cálculos do Pew Research Center, mais de 35 milhões de pessoas (cerca de 21% da população adulta nos EUA) escutaram podcasts com regularidade semanal, no ano de 2016. Mesmo sem chegar a esses números, “qualquer jornalista pode abrir um podcast e começar a construir uma audiência”. Seguindo a vaga, quatro websites de referência debruçam-se sobre esta nova área da comunicação digital.

Nesta linha do “faça você mesmo”, a Columbia Journalism Review abre com um artigo sobre “O equipamento de que precisa para começar o seu próprio podcast”. A jornalista Carlett Spike, a quem pertence a frase acima citada, faz uma espécie de visita guiada ao material disponível no mercado norte-americano, sugerindo microfones, gravadores digitais, auscultadores e programas de gravação e edição de som.

Na Global Investigative Journalism Network, o jornalista australiano Ivo Burum, especializado no que se chama agora Mojo (Mobile Journalism), ensina a fazer boas gravações de áudio com um smartphone. Tem todas as “dicas” que podem ser úteis, desde o principiante ao profissional, sobre o que pode correr mal numa gravação áudio no meio da rua, por exemplo, e o que se deve fazer para conseguir um bom resultado. 

O NiemanLab apresenta as últimas notícias, sobre esta matéria, vindas do universo da Apple, inclui o link para Hot Pod, uma newsletter semanal sobre podcasts, e acrescenta um artigo em que Joshua Benton explica, em subtítulo, que “a Apple, como o Google, está a usar a sua posição no mercado dos navegadores para tentar controlar elementos do mercado da publicidade”. 

Finalmente, Poynter.org destaca uma reportagem com o título provocante de  -  “Acha que o seu trabalho de jornalista é difícil? Experimente fazer um podcast a partir da prisão”... 

O trabalho de Benjamin Mullin descreve o ambiente na prisão estadual de San Quentin, onde dois presos, Earlonne Woods e Antwan Williams, mantêm vivo  - com o apoio externo de Nigel Poor, uma activista que acrescenta este trabalho de voluntariado à sua vocação original em artes visuais -  o podcast Ear Hustle. A mensagem que ela deseja fazer passar é que nem mesmo a prisão apaga totalmente a capacidade de um detido para realizar trabalho profissional.


A informação na CJR, na GIJN, no NiemanLab e em Poynter.org.

Connosco
Uma foto icónica partilhada por jornais e redes sociais Ver galeria

Há imagens que valem por mil palavras. Esta que reproduzimos acima é uma delas, registada pelo bombeiro Pedro Brás, no segundo dia do incêndio de Pedrogão Grande, quando 13 companheiros se deitaram no chão exaustos, no combate aos fogos.

A foto foi reproduzida, originalmente, pelos jornais espanhóis El Mundo e El Pais e, também, entre outros, pelo site electrónico Observador, doqual retiramos este documento.

Mais tarde, a imagem percorreu mundo, através das redes sociais e tornou-se icónica de uma luta desigual contra uma calamidade em que morreram 64 habitantes de Pedrogão Grande e 254 ficaram feridos, segundo as ultimas estimativas.

A foto foi tirada na manhã de 18 de Junho, e ganhou estatuto de viral. É uma imagem que “fala por si”, representando, simbolicamente, a homenagem a todos os bombeiros que estiveram envolvidos na contenção do  terrível sinistro.

Em pouco tempo, registaram-se cerca de 80 mil partilhas na rede social Facebook, e a  foto ganhou expressão, também, no Twitter e noutros  meios de comunicação social espalhados pelo mundo.

Dirigentes europeus intimam redes sociais a envolverem-se na luta contra o extremismo online Ver galeria
O Clube

 
O Prémio de Jornalismo da Lusofonia é a nova iniciativa promovida pelo Clube Português de Imprensa (CPI) em parceria com o Jornal Tribuna de Macau (JTM), no quadro das comorações que assinalam o 35º aniversário daquele diário de língua portuguesa em Macau.

Com o valor de 10 mil euros e periodicidade anual, o Prémio será atribuído por um Júri constituído por representantes do CPI, do JTM e por personalidades de reconhecido mérito na área do jornalismo ou que se tenham distinguido na defesa, divulgação ou ensino da Língua Portuguesa no Mundo.

Trata-se, pois, de um novo Prémio que, de acordo com o respectivo Regulamento (que inserimos noutro espaço deste site) se destina “a jornalistas e à Imprensa de Língua Portuguesa de todo o Mundo, em suporte papel ou digital”. 


ver mais >
Opinião
Que terá movido o Sindicato dos Jornalistas (SJ) a questionar o jornal espanhol El Mundo sobre a identidade de  um seu correspondente que cobriu os incêndios de Pedrogão Grande?   Diz a direcção do Sindicato, no respectivo site,  que “ decidiu pedir informações sobre as dúvidas levantadas acerca do suposto jornalista Sebastião Pereira(…)” . O Sindicato levou os seus esforços de...
Dados os muitos terabytes de prosa – sólidamente negativa – com que os media globais saudaram a decisão do presidente Trump, anunciada em discurso na Casa Branca no passado dia 1 de Junho, de retirar os EUA. do Acordo de Paris, seria de esperar uma cobertura exaustiva do tema, ou seja, que nenhum aspecto ou complexidade dessa terrível ameaça para a saúde do planeta escapasse à atenção dos “opinion leaders”, em...
Trump, Macron e a comunicação social
Francisco Sarsfield Cabral

O Presidente Trump está em guerra aberta com a comunicação social americana. E esta, na sua grande maioria, não gosta de Trump. Vários presidentes anteriores foram muito criticados pela Imprensa dos EUA – Reagan, por exemplo. Mas o grau de hostilidade que agora existe entre a Casa Branca e os jornalistas é de nível excepcionalmente alto.

Num livro colectivo acabado de publicar, simultaneamente, em treze línguas e em dezenas de países espalhados pelo mundo inteiro, cuja versão francesa se intitula, significativamente, L’âge de la Régression: Pourquoi nous vivons un tournant historique[1], Appadurai disserta sobre o «sentimento de cansaço» que, na sua opinião domina a esfera pública. Sentimento de cansaço relativamente à forma de fazer...
Fim de semana alucinante, sábado épico, jornada inédita. Muito se tem chamado a este 13 de maio, dia de Fátima, do Santo Padre, do anjo Vitória e do arcanjo Sobral. As notícias, as reportagens, os diretos. O frenesim tem sido imenso. Aliás já começou há uns dias. Amanhã, depois do nascer do sol, era bom que houvesse alguma reflexão sobre o que se passou. Será que tanta agitação na...
Agenda
11
Jul
Exposição de Jornais Centenários em Bruxelas
09:00 @ Parlamento Europeu, Bruxelas
12
Jul
Curso de Verão “Jornalismo de Investigação”
09:00 @ Universidade Internacional Menéndez Pelayo, Santander
13
Jul
Westminster Media Forum
09:00 @ Central London, Londres
27
Jul
Festival de Jornalismos de Verão
09:00 @ Couthures, França